Arquivos de Categorias: mafia

Recomendação Médica

Então que ontem eu fui ao médico ver o problema de pedra nos rins.

Conversa vai, conversa vem ele me pergunta:

– Escuta garoto, você bebe muita água?
– Muita Doutor. Água é saúde, saúde é vida.
– Tá certo. E me diga: Leite. Você bebe muito leite?
– Sim senhor. Sou fissurado em leite.
– Hum… o caso é que leite tem muito cálcio. Que é um veneno para pessoas com pré-disposição ao seu problema. Acho melhor você dar uma reduzida no leite.
– E cerveja?
– Hahaha. Cerveja tá liberado.
– Então, o sr. está me dizendo para parar de tomar leite e tomar cerveja?
– Ahahahaha. Mais ou menos isso.
– Tem como me dar isso por escrito? Com essa lei seca aí tá complicado. Aí quando a polícia parar eu mostro a recomendação médica.

Morram de inveja, amadores

Destino: Eisenbahn, Blumenau

(trecho do diário de bordo do oficial imediato)


[Isso foi o mais próximo que chegamos de uma donzela alemã.]

Cheguei ao ponto de encontro, a casa do navegador, um pouco atrasado —o imediato pode se dar a esses luxos—, mestre timoneiro já estava lá, a postos. Boa tripulação. Tomamos um café da manhã servido pela dona Eliani e, depois das recomendações de boa viagem, nos lançamos à estrada.

— Com mil diabos, seus porcos de água doce! Os mapas!

Voltei correndo e tomei as cartas. Entreguei-as na mão do navegador, o sujeito certo para o serviço. Agora estávamos prontos: o timoneiro no comando de sua nau azul, o navegador ao lado, com as cartas náuticas e eu —na falta do capitão— lá atrás, na popa, estirado na cabine dos oficiais. Agora, sim, hora de partir, “bring me that horizon!”

Cruzamos as milhas sem problemas, mestre timoneiro é bom no que faz. O mestre navegador indicou-nos um outro caminho, que aprendeu de seu pai, velho lobo do mar, e acatamos a sugestão.

Vendo a quantidade de cemitérios na estrada, mestre navegador animou-se diante da possibilidade de conseguir uma boa disputa:

— Ô lugar para ter cemitério! Deve haver um bocado de brigas quentes por aqui!

Fomos entrando na cidade e nada de briga. Nada de hordas germânicas furiosas. Nada de donzelas loiras. Nada de construções típicas. Nada de nada. Lugarzinho entediante. Chegamos a pensar que erramos de lugarejo.

Seguimos as placas até a Vila Germânica, onde, agora sim!, encontraríamos donzelas alemãs loiras e ávidas por forasteiros. Nada. Desembarcamos prontos para um quebra-pau com uma horda de bárbaros alemães. Nada. Silêncio. Bola de feno rolando no meio das casinhas de boneca. Devem estar todos escondidos, preparando uma cilada, os sodomitas. Ficamos de prontidão. E onde diabos se meteram as belezinhas do lugar?

Só nessa hora foi que vimos algo de alemâo: uma meia dúzia de lojinhas apertadas com florzinhas na janela e canecos e mais canecos de porcelana para vender. É mais ou menos como o Bar do Alemão, só que ao céu aberto. Toca o tempo todo a mesma música. Boa melodia para se ouvir balançando uma caneca de chopp.


[O navegador testa sua próxima máquina. Born to be wild.]

Como bons cavalheiros, almoçamos num restaurante de classe, que abocanhou uns bons dobrões de ouro. Comemos feito gente grande. Carne, muita carne e especialidades locais: joelho de porco, chucrute, marreco, salsichão. São bons em fazer comida de pirata, os alemães. E mestre timoneiro achou melhor não abusar da picanha ao molho de pimenta.

No parque ao lado, uma festa de motos. Paramos, mestre timoneiro fez uns tests-drives, nada muito empolgante. Definitivamente, ele fica melhor na sua moto preta de bandido.

Sem mais delongas, desistimos de procurar donzelas alemãs e fomos atrás do nosso objetivo de verdade.


[Estilo: ou você tem ou você não tem.]

Rodamos pela cidadezinha como cães caídos do caminhão de mudança. Mestre navegador e mestre timoneiro usaram todas as suas habilidades, mas não adiantou: os malditos bastardos do lugar não sabem como construir umas ruas decentes. Além de não saberem dizer onde fica nada, os sodomitas têm um sotaque de pederastas terrível, pelos ossos do demônio! Melhor desistir de pedir ajuda. Acabamos achando por nós mesmos.

No final de uma curva, chegamos ao X do mapa: avistamos a bombordo a fábrica de cerveja. Ahoy! Mestre timoneiro fez uma manobra ousada e lançamos âncora no estacionamento.


[Bom bar, lugar de família.]

Um sujeito troncudo, aparentemente o chefe do lugar, nos recebeu na entrada da taverna. Como bons cavalheiros, começamos apurando o paladar com um menu degustação, quatro tipos de chope.

No balcão uma alemã —agora sim!— trabalhava para servir os clientes. Bochechas rosadas, cabelo loiro trançado, seios fartos, braços fortes, tudo em fartura. Uma autêntica germânica, a única que vimos na viagem. Apelidei a belezinha de Helga.

Uma outra mocinha veio nos avisar que era hora de visitarmos a fábrica. Conosco entraram um casal de gor…, digo, com ossos largos e uma comitiva de alemães, liderada por um tiozinho que tinha, por baixo, uns sessenta anos só de chopp.


[Boa cerveja!]

Explicações feitas, cervejas demonstradas, provamos os maltes —tão ruins como a comida do navio— e entramos no meio dos barris da fábrica. Mestre navegador garantiu-nos que consegue instalar algo parecido no porão de nosso navio. Não seria nada mau, chopp fresco para a tripulação. É um processo simples, que os sujeitos do lugar fazem muito bem. Deve-se apreciar um serviço bem feito.

No final, a menina tirou do barril um chopp para cada um de nós. Boa garota. Bom chopp. Lá no canto, o casal de entroncadinhos brindava com um gesto que eu não ousaria fazer diante da minha santa mãezinha.

— Saúde, dinheiro e… sacanagem!

Brindaram umas cinco vezes, e a cada vez a gordinha piscava para o maridão. Deve ter um fogo difícil de apagar, a safada.


[Mestre timoneiro aprova a cerveja!]

Antes de voltarmos para o saloon, o tiozinho censurou a moça por não fazer nenhuma explicação em alemão, analisou o barril —3500 litros— com seus olhos de lobo do mar germânico, fez as contas e afirmou, com a categoria de quem já viu muito chope na vida:

— É, esse tanto aí acho que deve durar quase um mês lá em casa.


[Mestre navegador aprova o processo.]

De volta à nossa mesa, começamos a primeira rodada para valer. Depois outra rodada. E outra. E outra. Hora de separar os homens dos meninos. Brindamos aos ausentes, todos eles, que vivam para sempre, os bastardos! No final, brindamos à nossa, aos sobreviventes, “juntos fomos à guerra, juntos estamos no bar.” E a Helga lá no balcão, servindo chopp e salsichão pra alemãozada.


[Qual vai ser a próxima?]

Antes de partir, eu e o navegador tomamos uma decisão: vamos começar o treinamento com o mestre timoneiro e lançá-lo no Campeonato dos Tomadores de Chopp 2009. E depois que ele bater o recorde, o prêmio vai ter que mudar o nome para Alvaro Fonseca Duarte.


[O nome do timoneiro ainda vai ser inscrito nesse quadro com letras de ouro.]

Voltamos para Curitiba sem transtornos. Mestre navegador dormiu no leme como sempre, mas o timoneiro mostrou que é um bom sujeito levando todos em segurança para nossas mãezinhas.

Já na casa do navegador, despedi-me da tripulação, montei na minha moto e tomei o rumo de casa. Bom passeio, boa companhia. Dois sujeitos decentes. Dois grandes sujeitos. Ahoy, me mateys!


[Mestre navegador direto dos filmes de faroeste.]< br />
* * *

Cerveja Eisenbahn, das Bier von Blumenau
Das macht uns stark und schmeckt so gut
Cerveja Eisenbahn, das Bier von Blumenau
Tudo mundo gerne trinken tut

Me dá um chopp, um chopp geladinho
Pois este é o melhor remedinho
Bebendo com moderação
Faz bem pra tudo e é nossa tradição

Lá vem a Eisenbahn
Chopp de Blumenau
Cerveja da região
Lá vem a Eisenbahn
Chopp de Blumenau
Tudo bem, todo mundo alles blau

Ein Prosit! Ein Prosit, mit Eisenbahn!
Ein Prosit! Ein Prosit, mit Eisenbahn!

Little Girl Badass

(DN)

[youtube xKY7_cEMXW4]

Um dia eu terei uma filha assim.

Salve Jorge

São mais de 100 mesas espalhadas pelo salão que ocupa o térreo e o mezanino de um grande edifício localizado na Praça Antonio Prado. A decoração segue a mesma linha do bar da Vila Madalena, com fotos de vários “Jorges” famosos na parede, além de garrafas de cervejas antigas penduradas no teto.

O público é o mesmo que o da casa-mãe aos fins de semana. Porém, de segunda a sexta, profissionais dos mais diferentes ramos que trabalham na região tomam conta do lugar no horário de happy hour. As 19h, dificilmente se encontra uma mesa vazia. Para beber, a opção mais pedida é a cerveja servida em garrafas de 600 ml. Já para comer, o destaque fica por conta dos galetos. Vale lembrar que os que têm “Jorge” como nome de batismo recebem descontos variados na hora de pagar a conta.

Mais uma das aventuras de SP. Sábadão, 5 horas da tarde, eu e o Elfo passamos em frente desse enorme boteco. Eu convidei, ele topou. Fomos tomar uma no Salve Jorge.

O lugar é demais. Primeiro que é grande. Segundo que a decoração é muito bacana, com fotos de um monte de gente, altas imagens de São Jorge, aqui e ali e tem uma bela duma escada. E é um lugar de família, igual o Bar do Alemón, tinha até criança com os pais lá. E terceiro: Eles servem a cerveja num balde com gelo! Mó legal.

E preço é bom, viu? Recomendo!

Me senti o próprio Boêmio indo num lugar assim. Inclusive o bar me lembrou o gordinho, cantando “Bôemia, aqui me tens de regresso”. Temos que ir tomar uma lá qualquer dia desses.

Incentivo

1. Nunca pilote mais rárido do que o seu anjo da guarda possa voar.
2. Tenha uma vida equilibrada: ande em duas rodas.
3. Primeiro Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, depois, vendo que estava só, criou a moto para leva-lo onde quisesse; em seguida criou belas estradas de pista dupla e loiras, morenas e ruivas para levarmos na garupa. Aí veio o diabo e criou o radar, os buracos e a sogra…
4. Motocicleta, é sempre o melhor veículo: nunca cabe a sogra!
5. JESUS andava de jumento, por que no seu tempo não existia moto, e por certo o cabeludo também iria gostar de rock´n roll.
6. Se você for motociclista, que Deus lhe abençoe, se não for Deus lhe perdoe.
7. Meninas boas vão para o céu. Meninas motociclistas vão a todos os lugares.
8. Viajando de carro você vê a paisagem; de moto faz parte dela.
9. A liberdade existe: fica entre a roda dianteira e a roda traseira.
10. WARNING ADVISORY: Ande sempre equipado.Lá no céu tem moto e você pode estar escalado para o encontro celestial de amanhã.
11. Moto na estrada, cerveja gelada, mulher pelada. Não precisa ser necessariamente nessa ordem..
12. Respeite a sinalização, menos a placa de 80 km/h.
13. Muitos falam sobre liberdade. Somente os motociclistas a conhecem de verdade!
14. Como vovô já dizia: Viajar é preciso; aguentar sua vó o dia inteiro não.
15. Estampa em camiseta de piloto de moto dragster : Quem gosta de motorzinho é dentista!
16. Você não pára de andar de moto porque fica velho. Você fica velho porque parou de andar de moto.
17. Barriga não!!! Porta capacete.
18. Jamais argumente com um caminhão de 18 rodas. Especialmente ao lado dele.
19. O melhor despertador, é o sol batendo nos cromados.
20. Se você não anda com chuva ou neblina, então não anda.
21. Mototerapia : uma boa viagem limpa sua mente, restaura a fé, e te mostra a beleza da vida.
22. A MELHOR DE TODAS : SOMENTE UM MOTOCICLISTA SABE PORQUE UM CÃO PÕE A CARA PARA FORA DA JANELA QUANDO ANDA DE CARRO.

Isso é para incentivar um certo amigo meu a se decidir e comprar aquela azulzinha.

\o/

Vagas abertas para o Motoclube da Mafia®

Longo será o caminho a seguir

[youtube MlgnKYsy-LI]

Ergam seus copos por quem vai partir
Longo será o caminho a seguir
Nada será como costuma ser
Nada vai ser fácil pra você

Não faça o mesmo que fez o seu pai
Não leve armas lá aonde vai
Tantos eu já vi pagando pra ver
Não dá tempo de se arrepender
Nada que já não deva saber
Não há nada que não possa ter

Quero que a estrada venha sempre até você
E que o vento esteja sempre a seu favor
Quero que haja sempre uma cerveja em sua mão
E que esteja ao seu lado, seu grande amor

Eu me despeço de todos vocês
Muitos aqui não verei outra vez
Fora o inverno e o tempo ruim
Eu não sei o que espera por mim
Mas pouco importa o que venha a ser
Se eu tiver um dia a quem dizer

Quero que a estrada venha sempre até você
E que o vento esteja sempre a seu favor
Quero que haja sempre uma cerveja em sua mão
E que esteja ao seu lado, seu grande amor

Matanza é uma daquelas bandas estranhas, com músicas ruins de letras ruins, mas é aí que está a graça. Poucos tem coragem de cantar músicas sobre o Clube dos Canalhas, poucos tem coragem de dizer “Eu não gosto de ninguém” e menos ainda tem coragem de dizer “Nós estamos todos bêbados, bêbados de cair e os que não estiverem bêbados que dem o fora daqui”. Os caras são estilosos e tem um som viciante.

Sabadão teve show deles lá no Hangar e fomos eu, o Imediato (Ex-Mestre Elfo), o Eduardo (Ex-Pequeno Eduardo – tá maior do que eu), o Leonardo (trabalho comigo) e a Bruna (namorada do Leornardo).

Teve de tudo que teve no outro show deles: calor dos infernos, muita gente, breja, calor dos infernos, um monte de rockeiro suado, calor dos infernos e tals. O Show foi muito bacana. Tirando a demora para entrar no palco e o calor.

Somos amigos em terra, somos amigos no mar.
Juntos fomos à guerra, juntos estamos no bar!

Encontro Histórico

Uma é incrivelmente bela. Seu brilho era de um tom magnífico e se assemelhava com a luz do pôr do Sol.

A Outra é de uma beleza diferente, porém não menos incrível. Seu brilho possuía um tom lembrava a luz da Lua Nova.

Sunset Rider. Nigh Rider.

Dois cowboys velhos e ultrapassados, perdidos no tempo.

É. A vida até que não é tão ruim, afinal.

For what it’s worth, It was worth all the while…

Inhame

O INHAME LIMPA O SANGUE

É um dos alimentos medicinais mais eficientes que se conhece: faz muitas impurezas do sangue saírem através da pele, dos rins, dos intestinos. No começo do século já se usava elixir de inhame para tratar sífilis.

FORTALECE O SISTEMA IMUNOLÓGICO

Os médicos orientais recomendam comer inhame para fortificar os gânglios linfáticos, que são os postos avançados de defesa do sistema imunológico. Curioso que a forma do inhame seja tão semelhante à dos gânglios…

EVITA MALÁRIA, DENGUE, FEBRE AMARELA

A presença do inhame no sangue permite uma reação imediata à invasão do mosquito, neutralizando o agente causador da doença antes que ele se espalhe pelo corpo. Aldeias inteiras morreram de malária depois que as roças de inhame foram substituídas por outros plantios.

É MAIS PODEROSO QUE A BATATA

E tem a vantagem de ser nativo, enquanto a semente da batata é importada. Inhame dá com fartura em qualquer lugar úmido. Em vez de apodrecer na cesta, como a batata, ele brota e produz mais inhames. Nas mulheres aumenta a fertilidade porque contém fitoestrógenos, hormônios vegetais, importantes na menopausa e após.

MEDICINAL É O PEQUENO, CABELUDO

Marronzinho por fora, com a pele variando de roxo a branco. Existem ainda o inhame do norte e o cará, maiores e mais lisos, que são muito bons para comer mas não têm o mesmo poder curativo do inhaminho (também chamado de inhame chinês).

A FOLHA PARECE COM A TAIOBA

É da mesma família; ao contrário do que se pensa, a folha do inhame também serve para comer, cozida ou refogada. Às vezes pica muito, como a taioba.

EMPLASTRO DE INHAME PUXA TUDO:

furúnculos, quistos sebáceos, unhas encravadas, verrugas, espinhas insistentes, farpas ou cacos de vidro que entram nas mãos ou nos pés. Desinflama cicatrizes, elimina o sangue pisado de contusões, abcessos e tumores. Pode ser usado imediatamente após fraturas ou queimaduras para evitar inchaço e dor, e também em processos inflamatórios de hemorróidas, apendicites, artrites, reumatismos, sinusites, pleurisias, nevralgias, neurites, eczemas. Em caso de tumor no seio ou em outros lugares junto à pele é ótimo usar o emplastro de inhame durante uma semana antes de operar, pois ele vai aumentar esse tumor atraindo toda substância semelhante que houver no interior do corpo e evitar outros tumores. Serve ainda para baixar febres.

OS OUTROS NOMES DO INHAME

Em latim, infelizmente, é colocasia esculenta. Na África e na América do Norte se chama taro, na América Central é ñame ou otoe, na França é igname, na Índia albi, no Japão sato-imo, no Caribe malanga ou yautia. E cará, em inglês, é yam.

http://www.correcotia.com/inhame/

COMA E AME!

Uuuuuiiii

Vai ver é por isso que ele anda meio sumido.

Éééé como diria o Grande Mestre:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=xyueBky1xBo]

Joguinhos de Andar e Bater

O segundo tipo de jogo mais fod* que tem. Os mais clássicos!

Tema do podcast AWP dessa semana. Se vc jogou Final Fight quando era pequeno, o pod está imperdível!

Link

… And Justice for All

Uma das coisas que eu aprendi nesse mundão de deus, é que ele gira. E olha, ele gira bastante viu?

E, nesses giros as coisas mudam. O que ora está em cima, ora está em baixo.

You see there is only one constant. One universal. It is the only real truth. Causality. Action, reaction. Cause and effect.
– Merovingian, Matrix Reloaded

Causa e Efeito. Tudo o que a gente faz, gera um efeito. Gera uma resposta. Sejam boas pessoas e a resposta só pode ser boa. Façam cagada e vcs já sabem o que esperar.

E a questão aqui não é apenas de bem-mal. Tudo seria muito mais simples se o mundo fosse maquineísta dessa forma. Tudo nessa vida reage as nossas ações. Tudo responde aos nossos impulsos. Cedo ou tarde, o que está em cima vai descer até o fundo. Só para dali um tempo a roda do mundo girar novamente ele voltar a subir.

Esse blábláblá todo está aí por um motivo. Lembram-se do caso de envolvimento com a Máfia Russa que fizeram pra cima de mim?

Pois bem. Entre idas e vindas de advogados, juízes, juízas, se resolveu.

Quem achou que tava abafando, fazendo justiça e demitindo por JC, tomou um belo tombo. Causa e Efeito.

A dona Juíza mostrou que, apesar de cega, a justiça não é besta. Ganhei o causo todo =)

E o babaca, além de sair com o orgulho ferido por ter perdido “Um caso de honra”, perdeu muito mais grana do que se tivesse feito as coisas sem essa babaquice. Causa e efeito.

Depois tava lá fora do Fórum, fazendo escandolozinho pra cima do advogado dele. Ahahahahahaha

Ê mundão que gira…