Arquivos de Categorias: trampo

Quando é a hora de parar?

Quanto te pagavam inicialmente para desistir dos seus sonhos?

E quando você iria parar e voltar a fazer o que te faz feliz?

Night Rider

atenção: esse é um post sobre minha vida sem graça no mundo corporativo. Minhas reclamações estão situadas das 07:30 as 17:30 e das 18:30 as 23h, ok?

 


Boa Noite, Curitiba.

Nessa correria do mundo de hoje, o tempo prega peças em você. Temos a impressão de que estamos lutando ‘pelo futuro, fazemos planos, projetos, planejamos viagens, atividades e o mundo nos faz esquecer da maior verdade de todas:

O relógio está correndo.

 ‘Nada pode deter a inexorável marcha do tempo’.

 

Continue lendo »

Só de ficar aí parado já é perigoso.

Ele: Puta Merda.

Eu: Que foi?

Ele: Puta merda. Tá certo que quando eu resolvi pegar essa vaga de protetor, me avisaram para ficar longe dos desastrados e atrapalhados. Que era fria.

Eu: ahhahaahha.

Ele: Mas eu não dei ouvidos. Inclusive, achei que pegar um caso desses iria fazer até bem para a minha carreira como protetor. Imagina: EU consegui proteger o lado de um desastrado/atrapalhado e ele morreu de velho! De velho! Quando pintou a vaga eu já estava ouvindo os outros comentarem “Olha lá, aquele anjo ali conseguiu proteger um desastrado até ele morrer de velho”. Poutz, as vezes a gente faz umas escolhas na vida viu…

Eu: Mas eu nem fiz nada.

Ele: Nem fez nada? Poxa, eu não posso nem ir ali dar uma olhada em uma moça bonita que você já está arrumando uma forma de se matar!

Eu: Ah, pare de reclamar. Eu nem fiz nada.

Ele: E precisa? Você sendo o desastre ambulante que é, só de ficar aí parado já é perigoso.

Eu: É, essa foi quase.

Ele: Quase.

Eu: Mas não foi. E se fosse, seria muito sem graça. Não deu tempo nem de ver o filminho.

Ele: Filminho?

Eu: É. Aquele “minha vida passou na frente dos meus olhos”. Na verdade, seria meio que nem a Sucuiuiu: Não daria tempo nem de dizer “Ai Jisuis”.

Ele: Hahahahahaha. Será que eu consigo um extra no salário se eu listar todas as enrascadas das quais eu já tirei você?

Eu: Ahahaha. Sei lá. Vai ter que falar com o Homem. Hey Garçom! Traz mais duas absoluts aqui, para mim e outra pro meu amigo.

Estou eu bem tranquilo sentadinho no meu trabalho e toca o telefone. O chefe liga dizendo que é para eu fazer o teste que falta com a nova turbina que eu projetei. “É só ligar a máquina no trator, encher ela de água, e subir aquela ladeira de barro lá atrás do refeitório”. E lá fui eu e mais uma galera.


Mais ou menos assim. Mas como choveu a noite isso tava uma lameira só.

Montamos a turbina na máquina, montamos a máquina no trator e fomos até a ladeira. Ela é atrás do refeitório e começa numa calçadinha, que termina de repente e tem uns 20m de descida. Um descidão bonito.

O cara que tava pilotando o trator desceu a ladeira com ele numa boa. Fez a volta lá embaixo, que é plano, ligou a turbina da máquina e veio fazendo o maior barulho e subindo a ladeira. Bem na manha.

Um trator desse e um pulverizador com turbina desse tipo.

A primeira subida foi tranquilo. Chegando lá em cima o piloto pegou e seguiu até um bosque, que tem uma descida suave e que acaba no pé do ladeirão. E lá veio ele para a segunda volta.

O trator patinou um pouco quando chegou no final da subida mas tudo bem também. E lá foi ele para a terceira volta.

E aí o trator encalhou. Atolou naquela lameira. Jogava barro para tudo o quanto é lado. Em cima de mim, inclusive.

Agora fica a pergunta: Como vamos desencalhar um trator de 80cv e 2 tons dessa lameira? Ora, aqui a gente FABRICA trator. Vamos pegar outro e rebocamos esse.

E lá saiu correndo o estagiário atrás de um outro trator. Na correria ele pegou o primeiro que achou. Um trator pau velho, 1974, vermelho. Ele veio vindo, veio vindo e colocou esse trator de ré, bem no começo da subida, a uns 3 metros do outro.

Parou e eu entrei entre os dois e comecei a amarrar os cabos e cordas pro reboque.

Aí, só para a história ficar mais interessante, o tratorzinho vermelho ficou sem o quê? O quê?

Advinhou quem disse freio.

E ele veio vindo de ré, olha que divertido. Agora lembrem que eu estava ENTRE os dois.

Não perguntem como.

Eu não sei como eu saí dali.

Eu sei que uma hora eu estava no meio dos dois e na outra eu não estava e dois monstrinhos de 2 toneladas cada estavam se batendo.

O pior de tudo é que o trator pau velho nao conseguiu rebocar o trator atolado. 😛

Infinita Highway

[youtube 0i2fCwBNqo0]

Você me faz correr demais
Os riscos desta highway
Você me faz correr atrás
Do horizonte desta highway
Ninguém por perto, silêncio no deserto,
Deserta highway
Estamos sós e nenhum de nós
Sabe exatamente onde vai parar

Mas não precisamos saber pra onde vamos
Nós só precisamos ir
Não queremos ter o que não temos
Nós só queremos viver
Sem motivos nem objetivos
Estamos vivos e isto é tudo
É sobretudo a lei
Dessa infinita highway

Escute garota, o vento canta uma canção
Dessas que uma banda nunca toca sem razão
Me diga, garota: “Será a estrada uma prisão?”
Eu acho que sim, você finge que não
Mas nem por isso ficaremos parados
Com a cabeça nas nuvens e os pés no chão
Tudo bem, garota, não adianta mesmo ser livre
Se tanta gente vive sem ter como comer

Estamos sós e nenhum de nós
Sabe onde vai parar
Estamos vivos sem motivos
Mas que motivos temos pra estar?
Atrás de palavras escondidas
Nas entre linhas do horizonte
Desta highway… Silenciosa highway, Infinita Highway

Eu vejo um horizonte trêmulo
Eu tenho os olhos úmidos
Eu posso estar completamente enganado
Posso estar correndo pro lado errado
Mas a dúvida é o preço da pureza
É inútil ter certeza
Eu vejo as placas dizendo “Não corra”
“Não morra”, “Não fume”
Eu vejo as placas cortando o horizonte
Elas parecem facas de dois gumes

Minha vida é tao confusa quanto a América Central
Por isso não me acuse de ser irracional
Escute garota, façamos um trato:
“Você desliga o telefone se eu ficar um pé no saco”

Cento e dez
Cento e vinte
Cento e sessenta
Só pra ver até quando
O motor aguenta
Na boca, em vez de um beijo,
Um chiclet de menta
E a sombra de um sorriso que eu deixei
Numa das curvas da highway

Incrível como os gostos da gente são esquisitos. Quando eu conheci o Fábio, ele só ouvia Eng Haw e eu odiava Eng Haw. Eu só ouvia Rock (Ultraje, Metallica) e ele odiava a barulheira. E a gente meio que não batia muito o santo. Personalidades totalmente diferentes. Ele era o Choquito Voador e eu era o Bomberman Explosivo.

Mas o tempo passou, as dificuldades (e o tio Mente Aberta) fizeram com que a gente virasse brother pra caramba e, ora vejam, hoje eu gosto de Eng Haw e ele ouve Metallica e Ultraje 😀

Essa música muito show de bola do Eng Haw já faz praticamente parte de minha vida, assim como a estrada já faz parte dela. Viajando para lá e para cá, a trabalho, por diversão, por amor, por solidão.

Viajar é legal, mas ficar longe de casa é chato. Bate uma saudade das minhas coisas, do meu mundo e principalmente: Da minha Cama.

😛