Arquivos Mensais: fevereiro 2010

A música sem nome, da Banda sem Nome.

Tudo começou numa tade de 1994.

Um antigo amigo me mostrou uma fita K7 com uma música muito boa, que, de cara, eu adorei. Quando perguntei qual o nome da banda, esse amigo não sabia. Tinha roubado a fita do irmão dele, e tentaria depois descobrir o nome. Fiz um cópia daquela música instrumental e volta e meia acabava ouvindo, mas aquele amigo nunca me contou o nome. Tinha levado uns bofetes do irmão por ter mexido onde não devia e não tivera coragem de perguntar.

Então eu segui por alguns anos, ouvindo aquela música, aquela mesma música diversas vezes, da “banda sem nome”.E era uma gravação ruim, meio midi, mono e com volume baixo. Mas mesmo assim eu seguia ouvindo (sempre gostei de midis).

Até que um belo dia eu estava andando dentro de uma loja de CDs, quando começou a tocar dentro da loja uma música legal, pesadona. Um rockão foda. E para minha surpresa, eu comecei a cantar no modo nã-nã-nã a música. Foi aí que eu percebi: Estava tocando aquela música que eu ouvi durante anos, da “banda sem nome”.

Sem pensar duas vezes, corri do lado de fora da loja, desesperadamente arrastei o atendente para dentro e disse para ele: Quero o CD que tem essa música aí!. Ele começou a rir do meu desespero e foi atrás do disco. Voltou com um disco estranho, sem nome na capa. Na verdade, na capa não havia nada. Somente preto preto e mais preto. Quando perguntei o nome do disco ele disse: Black Album. E eu duvidei, porque não tinha escrito isso no encarte. Na verdade, na capa havia uma cobra e um nome meio borrado. Mas só isso.

Aquele dia quando cheguei em casa, botei o disco para tocar. Lembro até hoje. E, logo na primeira música eu já tava quase tendo um treco. A primeira música era a música da “banda sem nome”. Aprendi então que se chamava Enter Sandman, e a “banda sem nome” tinha nome, e se chama Metallica.

Ouvi o CD todo, direto. Não acreditava naquilo, o disco não tinha nenhuma musica chata. Nunca tinha acontecido isso comigo. Quase nunca acontece hoje ainda: Eu gostar de um disco inteiro, já na primeira escutada. Geralmente leva alguns dias para que eu absorva tudo e passe a realmente gostar de um disco. Mas com aquele não. Eu adorei logo de cara.

Incrivel como aquele dia ficou grudado na minha memória. Lembro de ter ouvido CD com fones de ouvido direto no CDPlayer, lembro de ter lido as letras, ter ouvido o CD novamente, ter visto um episódio do Tin Tin (aquele do ônibus espacial), de ter gravado uma fita K7 com as três músicas que eu achei mais legais (Enter Sandman, Unforgiven e Nothing Else Matters) e ter ido dormir.  Lembro até com o que eu sonhei, mas isso não é da conta de vocês 😛

Quem diria que anos depois eu estaria numa festa de Garagem, cantando essa música junto com um grande amigo (lembra, rck?). Quem diria que anos depois seria eu que estaria em cima de um palco tocando essa música. E quem diria mais ainda, que eu veria os caras ali, ao vivo, tocando essa música!  Me desculpem todos os outros, mas essa foi para mim. Eu sei que foi.

Com vocês, a música sem nome da banda sem nome Enter Sandman, do Metallica.

[youtube K2jfV1DzcuQ]

Say your prayers little one
Don`t forget my son
To include everyone
I tuck you in
walk within
Keep you free from sin
‘til the sandman he comes

Sleep with one eye open
Gripping your pillow tight

Exit light
Enter night
Take my hand
We’re off to never never-land

Something’s wrong, shut the light
Heavy thoughts tonight
And they aren’t of Snow White
Dreams of war
Dreams of liars
Dreams of dragons fire
And of things that will bite, yeah

Sleep with one eye open
Gripping your pillow tight

Exit light
Enter night
take my hand
We’re off to never never-land

(whisper)
Now I lay me down to sleep (x2)
Pray the lord my soul to keep (x2)
If I die before I wake (x2)
Pray the lord my soul to take (x2)

Hush little baby don’t say a word
And never mind that noise you heard
It’s just the beasts under your bed
In your closet and in your head

Exit light
Enter night
Grain of sand

Exit light
Enter Night
Take my hand!
We’re off to never never-land

Yeah, ha ha ha

Boom

Yeah, yeah
oh, whoa

We’re off to never never-land

Take my hand
We’re off to never never-land
Take my hand
We’re off to never never-land

We’re off to never never-land